fbpx Smart Cities, saiba tudo sobre o conceito de cidades inteligentes
smart cities, saiba tudo sobre este conceito de cidades inteligentes

As entidades públicas têm procurado novas formas de preparar as cidades para o futuro e têm encontrado no conceito de Smart Cities (cidades inteligentes) uma possível solução.

Fazendo uso de diversas novidades tecnológicas, pretende-se que esta nova geração de cidades seja promotora de um estilo de vida mais saudável para os seus cidadãos e que permita a adoção de práticas mais sustentáveis.

 

O que caracteriza as Smart Cities?

Segundo a definição da União Europeia, Smart Cities é um conjunto de sistemas e de pessoas que interagem de forma inteligente usando energia, materiais, serviços e recursos de forma sustentável de forma a beneficiar os cidadãos e os negócios.

Ou seja, uma Smart City trabalha de forma integrada com os seus cidadãos com o objetivo de melhorar os vários domínios das cidades (segurança, saúde, limpeza, transportes, iluminação pública e mobilidade, entre outros). Para isso, recorre à tecnologia e inovação para melhorar a qualidade de vida dos seus habitantes, aumentar o valor económico gerado naquela comunidade e promover a sustentabilidade ambiental.

Com o avançar da tecnologia, são hoje cada vez mais as inovações que contribuem para o crescimento do conceito de Smart Cities e que podem ser aplicados no quotidiano dos cidadãos.

Segundo o índice IESE Cities in Motion, para que uma cidade seja considerada inteligente, é importante que utilize um grande número destas soluções:

– Utilização das tecnologias de informação e comunicação (TIC)
– Automatização e controlo de edifícios
– Planeamento urbano eficiente
– Mobilidade urbana e transportes públicos sustentáveis
– Gestão inteligente dos resíduos sólidos
– Melhoria da sustentabilidade ambiental
– Preocupação com o ambiente social
– Tecnologias aplicadas à educação
– Tecnologias aplicadas à saúde
– Sistema de comércio eletrónico
– Transparência entre governos e cidadãos
– Dados compartilhados em Open Data

Através de tecnologias como o IoT, open data, inteligência artificial ou analytics, as Smart Cities têm assim uma maior capacidade para monitorizar e promover uma melhor interação com os seus cidadãos, através da disponibilização de informação útil em tempo real (como os horários de transportes, as alterações no trânsito, os contratos públicos, entre outros) e da simplificação de processos do quotidiano das cidades.

Atualmente, já é possível observar nas principais Smart Cities tecnologias como os sensores nos postes de eletricidade para medir a qualidade do ar, a instalação de painéis solares em semáforos ou sinais de trânsito, medidores inteligentes de consumo de água e luz ou mesmo o incentivo à utilização de veículos elétricos.

 

Principais Smart Cities a nível nacional e internacional

De forma a melhorar a qualidade de vida dos seus cidadãos, várias cidades estão já hoje a adotar várias dos conceitos e tecnologias que integram este conceito.

Segundo o Smart Cities Index de 2020, Singapura é a cidade que melhor integra o conceito de Smart Cities graças às soluções inteligentes que tem atualmente em funcionamento: controlo de tráfego, de táxis autónomos, um sistema de videovigilância inteligente ou a plataforma de saúde Smart Health TeleRehab que permite um acompanhamento dos pacientes em terapia de recuperação possam ser acompanhados à distância. Helsínquia e Zurique são também exemplos da boa aplicação das tecnologias ao serviço da população.

Quanto às cidades portuguesas, são também várias as que estão a apostar neste conceito, como Aveiro, Penela, Águeda, Viseu, Leiria ou Torres Vedras. Nestes municípios destaca-se a aposta no 5G, a promoção dos veículos elétricos, as tecnologias para turismo ou as aplicações de interação com os cidadãos.

 

Torne a sua cidade mais inteligente

Quanto se fala em cidades inteligentes, não falamos apenas de tecnologia. Este conceito representa uma nova forma de contacto entre os cidadãos e o município, gerando assim um novo canal de comunicação. Ao mesmo tempo, é também reforçada a aposta na sustentabilidade, permitindo contribuir para um mundo mais verde.

Quanto se fala da evolução das cidades, o tamanho não importa, mas sim a vontade de começar a integrar esta transformação digital. É possível iniciar com processos mais simples, como a utilização de uma plataforma de faturação eletrónica, podendo depois evoluir para a instalação de outras tecnologias como os sensores ou os painéis solares.

Saiba como a Câmara Municipal de Guimarães já tira proveito das soluções YET e comece já a tornar a sua cidade mais inteligente.

Top